domingo, 24 de outubro de 2010

Para falar a verdade



Quando uma criança diz uma mentira, será que devemos nos preocupar? Por que será que ela mentiu? Como reagir?

Filomena Santos Silva, Psicóloga - Texto retirado da revista "O Guia para Educadores" Junho/2009

Seja para fugir à possibilidade de uma punição por ter feito algo de forma incorreta, seja para viver um acontecimento que gostaria que se tornasse realidade, as mentiras contadas pelas crianças preocupam pais e educadores. Em qualquer um desses casos, a criança usa um jogo simbólico e a imaginação e revela suas capacidades intelectuais. Pais e educadores sabem que a fantasia é importante para o desenvolvimento da criança e devem ser estimulá-la de modo saudável. Contudo, é fundamental aproveitar essas situações para otimizar o desenvolvimento moral da garotada, dando-lhes a noção de responsabilidade e mostrando-lhes o que é real e o que é fantasia.

Como perceber se a crianças esta dizendo a verdade?

As crianças pequenas "falam" muito com o corpo; enquanto ela lhe relata o acontecimento, esteja atento a seus gestos e expressões, principalmente faciais. Frequentemente, desviam o olhar, cerram a boca ou pressionam a língua contra a parte interna da bochecha, numa tentativa de se controlar. Se tem dúvida em relação ao relato, peça para contar a história um tempo depois, procurando colocar as questões do outra forma. Se for mentira, a criança acabará entrando em contradição.

Como lidar com a situação quando a criança mente?

É fundamental manter a calma, não dar demasiada importância a um comportamento que faz parte do desenvolvimento natural da criança: se ela sente que o adulto fica muito ansioso e lhe dá atenção demais, poderá voltar a usar a mentira como forma de obter benefícios secundários, ou seja, chamar a atenção (mesmo que seja para se zangar o adulto irá corresponder a essa expectativa) Converse com a criança, explicando-lhe que não assumir um erro ou culpar outros por uma ação cometida é muito mais grave do que desfazer uma mentira e que não ficará bravo com ela se ela assumir a responsabilidade. Por vezes, basta dizer que sabe que foi uma brincadeira, mas em outras as consequências não são agradáveis.

Nunca permita que a criança obtenha benefícios pelo fato de ter mentido; ajude-a a ser responsável, fazendo alguma ação para consertar a situação. Ela deve limpar o que sujou, ajudar a colar o que partiu, dar uma moeda para comprar um objeto novo, não comer guloseima. Se a mentira envolver terceiros, ajuda a criança a falar com essa pessoa e nunca acoberte a mentira.

Procure sempre centrar seu discurso no comportamento e não na personalidade da criança. A idéia é mostrar que ela disse uma mentira, mas pensa também que ela sabe dizer a verdade; se disser que ela é mentirosa, correrá o risco de a criança se assumir como tal. Deixe claro que não aprova a atitude tomada, mas que continua gostando dela.

Analise com os pequenos as consequências de dizer verdades ou de escondê-las. Leve-os a pensar em estratégias alternativas que poderão utilizar da próxima vez que surgir uma situação semelhante, sem ter de recorrer à mentira.


3 comentários:

AC disse...

Foi um prazer descobrir o seu cantinho. Vou seguir com todo o gosto.

Bj

VaneZa disse...

Muito esclarecedor... é muito importante que pais e professores tenham esclarecimentos sobre issoe aprendam a lidar com a situação sem punir a criança drásticamente.

BeijoZzz

Sergio disse...

Hola Carmen,

es una situación complicada...

Te dejo saludos argentinos,

Sergio.

Postar um comentário

Que bom que você veio escrever na lousa de comentários.
Obrigada!